Keblinger

Keblinger

Tempero

Pimenta rubra de minha alma ardente...
Meu segredo exultante.
Ruborizas minha pele
Me deixas pronta num instante.
Basta mirá-lo, ousado,
a querer-me só com o olhar...
Que eu me abro, e,
Sabendo que sou fogo,
que ardo,
Ele me prova
Com saciedade
E ele me engole...
Sem dó nem piedade.

Carolina salcides

7 comentários:

  1. Carolina, lindo poema, como todos os outros que li´, é uma dadiva ter te conhecido, e saber que, de tudo o que escreve, agora sou sabedor.
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Bom dia/tarde/noite!!!
    É muito bom voar entre poesias e poemas disseminados em palavras normais, mas que juntas transformam-se em sonhos extrenamente maravilhosos nestas páginas reais.
    Almando

    ResponderExcluir
  3. Quase 100.000 visitas.
    Uau.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. parabéns pela seu blog, realmente bonito..,
    tens uma grande sensibilidade em sua forma de utilizar as palavras,belos seus poemas...
    boa sorte em seu blog ^^

    ResponderExcluir
  5. Nossa!!
    Quando abri seu Blog não esperava encontrar o que encontrei!!
    Profundo e delicado...
    Suas poesias são divinas...

    Parabéns!
    Muita Luz pra sua vida!!!

    ResponderExcluir
  6. Abro as asas e vôo num piscar.que bom

    ResponderExcluir
  7. Adorei! Somos do mesmo mundo!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Copyright © 2005-2013 Carolina salcides. All Rights Reserved. Todos os Direitos Reservados.